Carnaval 2011 – O maravilhoso mundo encantado do Bar Brasil

Carnaval Estocolmo – Abertura. © Foto: Ulf Isacson

Mundo cheio de cores, fantasia, sons e alegria que rompe todas as fronteiras e as distâncias, trazendo o calor brasileiro pra dentro dos corações nórdicos e de todas as nações que se misturam no caldeirão de atrações e surpresas que tomam conta da Suécia quando o Bar Brasil entra em cena, ano após ano, com seu tradicional e arrebatador Carnaval, uma festa que poderíamos dizer nenhum gringo jamais conseguiria executar, isso se ironicamente, não fosse ali mesmo, na fértil imaginação de um deles, um autêntico Svensson tomado pela febre tupiniquim, ali na alma sueca-brazuca de Johan von Friedrichs, que todo esse circo começa a tomar forma. Carinhosamente chamado de embaixador sueco do Brasil, esse gringo tem sangue verde e amarelo correndo nas veias, e armado de seu estandarte, muita garra e samba no pé, ele segue comandando toda essa farra, que já conquistou seu espaço no calendário das melhores festas que acontecem aqui pela Escandinávia.
E é aqui, no coração de Estocolmo, na Münchenbryggeriet, uma das maiores e mais charmosas casas de eventos destas bandas, que ocorre o maior e mais tradicional carnaval indoor da Escandinávia, e porque não dizer da Europa inteira? E quem haverá de discordar se eu disser que trata-se da melhor festa que acontece na Suécia? Só mesmo quem não estava lá.
Todo o arsenal do Bar Brasil foi convocado, um verdadeiro exército de atrações, armado de flores, plumas e paetês, trazendo a primavera estampada na cara e o calor no corpo, botando pra derreter todo esse gelo, e fazer esse longo inverno virar passado de uma vez. E a coisa ficou quente mesmo. Por que não dizer que fomos nós que demos início oficial ao verão sueco? (já que no dia seguinte até os relógios foram atrasados pra que a nova estação pudesse chegar).

Viviane Mulata. © Foto: Ulf Isacson

Foram quatro pistas recheadas de grandes artistas, que entraram em cena para fazer da alegria uma regra básica no local, e o público não ficou indiferente, e que público! Todo mundo tira do armário suas melhores fantasias para fazer parte deste show, onde todos tem espaço pra brilhar. Dj Jokasoul dava as boas vindas na porta, já botando o povo pra entrar no clima da animação e jogando todos logo de cara dentro da pista do Hootchy Kootchy Club, que foi a grande surpresa deste ano, aí, o tour seguia pelo Babalú Latin Room, passando pela Barracuda Soca, depois uma beliscadinha nos salgados da Marisa, e mais adiante os foliões já se jogavam na pista principal com os passinhos contagiantes do grupo Gilmar Dance que já estava botando a moçada pra sacudir o esqueleto, ou como se diz em bom sueco, ”skaka rumpa”. Daí pra frente, o show não pára, e é tanta coisa acontecendo que fica a impressão de que a festa deveria durar quatro dias como o carnaval do Brasil, pra que a gente pudesse saborear tudo, sem perder nada. Destribuídas as bandeiras e os estandartes, a bateria da Maravilha do samba toma o salão para o desfile da Carnaval Parade, levando atrás toda a fauna de foliões, que termina num êxtase coletivo com todo mundo no palco fazendo literalmente tudo tremer e as paredes da Münchenbryggeriet suarem, este ano todo o ritual de abertura ainda contou com a ilustre presença da mamma de nosso embaixador Le Fox, uma animadíssima senhora de 86 anos de idade que se encarregou de entragar a chave do carnaval para o Rei Momo, depois que a Rainha Renata Dias recebeu a sua faixa. Foi a vez então de Xavier da Vai Vai & Paulinho, que vieram de Londres, tomarem a frente da bateria do Maravilha comandando o palco principal com muito samba do bom e muitos convidados, como a nossa estrela baianíssima querida Simone Moreno que mostrou estar em ótima forma, com CD novo prontinho pra lançar no mercado. E teve Show das mulatas Viva Brasil, teve baianas, capoeira, maculelê, Dj Wesley, Jokasoul, Le Fox, a chapa ficou quentíssima.

Jokasoul e dançarina. © Foto: Ulf Isacson

E lá pelos lados do Barracuda soca room não tava diferente, a performance show da Hot Pans Steelband deixou todo mundo chapado, e ainda teve o Scrappy (Montserrat) e Chardanai (Barbados) mandando ver nos vocais ao lado dos DJ´s Uncle Eric e Thomas Gylling que agitaram a noite toda por lá. No Babalu Latin Room os Dj´s José e Andrés comandaram a salsa, o merengue e a cumbia também com pista lotada.
Mas a grande novidade deste ano, a galera do Hootchy Kootchy Club parece que veio pra ficar, trazendo um toque de modernidade com um verdadeiro circo de atrações que eles chamam de ”Burlesque”, deixou o povo literalmente de boca aberta, eram toreiras, palhaços, contorcionistas, e outras tantas criaturas inclassificáveis em performances enlouquecidas que culminaram com a enorme presença da drag queen Gateau Chocolate num clímax inesquecível. Sejam bem-vindos burlescos e maluquetes de plantão.

Hootchy Kootchy Club. © Foto: Ulf Isacson

E isso é tudo, e é muito pra que que se possa traduzir em palavras tamanha farra, o povo sueco pode encher a boca pra falar, sim, nós temos carnaval, e dos bons, uma festa pra ficar pra história, marcada na memória de todos que estiveram por lá, e que desde já aguardarão ansiosamente até o ano que vem.
Longa vida a Johan von Friederichs! A folia não tem nacionalidade, nem raça, nem credo, nem cor, somos todos irmãos neste universo de alegria chamado carnaval, e ser feliz é obrigação neste mundo encantado do Bar Brasil.

Gean Queiroz

Filed Under: Blog Gean QueirozCrônicafeaturedInformationNews

About the Author:

RSSComments (3)

Kommentera | Trackback URL

  1. Teresa Rego skriver:

    foi uma festa maravilhosa sim!!..um extase de cores, sons e vibrações!!..viva a vida, viva o carnaval!!

  2. vera lucia skriver:

    olá pessoal como vai legal saber que existe uma casa Brasileira bem pertinho da gente, sou cantora e quem sabe podemos combinar algo de uam olhada no meu site:abraco e muit sucesso pra vcs!

  3. Terry Kelly skriver:

    As mulheres sabem como se vive a vida… eu adoro seu site. Beijo.

Leave a Reply